quinta-feira, 27 de agosto de 2009

Como anda a sua auto-estima?



Como anda a sua auto-estima?

Uma boa auto-estima é fundamental para conquistar e manter uma relação amorosa. Só quem se ama pode dar e receber amor.

Não adianta: a pessoa pode ser linda, ter um bom emprego, morar num apartamento maravilhoso, dirigir um carrão. Também pode ter um papo ótimo, ser agradável, gentil e sensual. Mas, se apesar de tantas qualidades não tiver uma boa auto-estima, dificilmente conseguirá conquistar alguém ou, o que é mais complicado, manter a conquista.

"A auto-estima é a mola propulsora de uma série de outros sentimentos fundamentais", diz a psicóloga Vilma Ferreira. "Quando a pessoa se sente segura em relação a si mesma e se gosta, torna-se carismática. Além disso, não desenvolve sentimentos negativos de auto-depreciação, como possessividade, medo de perder e ciúme".

A auto-estima elevada também nos impede de embarcar em relacionamentos complicados, doentios ou equivocados, porque a intuição vai funcionar como um alarme. Mesmo que alguém esteja sozinho e queira muito encontrar alguém para amar, ela é capaz de recuar diante de um parceiro interessante, mas que represente um risco ao seu bem-estar.


Você tem uma boa auto-estima quando...

... Gosta de si mesmo, por isso se valoriza.

... Não se deixa maltratar nem aceita menos do que sabe que merece. Mas também não é arrogante nem tem mania de grandeza.

... É seletivo e não se envolve com qualquer pessoa. Sabe escolher bons amigos e bons parceiros. Não se liga a alguém por carência afetiva ou sexual.

... Tem auto-confiança e sabe expressar suas crenças e pontos-de-vista. Por isso, não sai por aí concordando com o que os outros dizem para obter aceitação e aprovação.

... Não permite que uma atitude ou palavras que alguém diz para você o deixem arrasado. Respeita a opinião alheia, mas sabe o que quer.

... Tem auto-respeito e sabe se colocar. Não admite ser destratado, nem compactua com comportamentos que vão contra os seus valores. Por saber se respeitar, respeita a todos, sem julgamentos. Sabe que cada um vive no seu patamar de consciência e assume a responsabilidade por si mesmo.

... É alto astral, alegre e otimista. Acredita no futuro e em si mesmo. Não perde tempo com desânimo, nem aluga os outros com reclamações

... Não alimenta sentimentos negativos como ciúme, possessividade, insegurança. Sabe que você pode manter-se positivo, mesmo diante de algo negativo.

... Recusa-se a tornar-se refém do próprio passado, por mais difícil e doloroso que ele tenha sido. Sabe que a vida acontece aqui e agora e que não é por acaso que o presente se chama “presente”.


A Baixa Auto Estima Como Causa Da Infelicidade

Muitas pessoas se queixam de que são infelizes no amor, que só “entram em roubada” e que, mesmo fazendo tudo para que seus relacionamento dêem certo, a desilusão sempre acontece.

Não são poucos os que até começam a duvidar da possibilidade de ser feliz ao lado de alguém. De que é possível ser feliz ao lado de alguém. Se a desconfiança no amor começar a envenenar o coração, é sinal de que a auto-estima está abalada. É só o começo de uma longa lista de problemas a caminho. Desconfiar da sua capacidade de atrair e oferecer amor, faz com que a pessoa só piore a situação.

"A auto-confiança é o pilar da afetividade: sem auto-estima e amor por si mesmo, o ser humano não consegue relacionar-se de forma satisfatória e enxergar-se de forma positiva. Torna-se inseguro e descrente quanto ao seu desempenho como homem ou como mulher. Uma das conseqüências é o sentimento de menos valia que impede a conquista amorosa e sua manutenção”, afirma a psicóloga Lilian Martins.

A descrença em si mesmo acaba se refletindo no relacionamento, que torna-se palco para demonstrações de carência, egoísmo e insatisfação. O medo de amar vem à tona e vai minando as chances de felicidade. Geralmente, as pessoas preferem estragar tudo logo começo O que só vai reafirmar sua crença de que “jamais darão certo no amor”, criando o que chamamos de profecia auto-realizável. É imprescindível gostar de si mesmo para correr o risco de se envolver com alguém, sem medo de vir a sofrer.

Essa é uma das explicações porque pessoas com baixa auto-estima, quando encontram um parceiro, defendem-se de uma possível dor acabando logo com a relação.

Jael Coaracy


4 comentários:

  1. Este texto falou diretamente comigo.
    Adoro seu blog.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Nossa falou diretamente comigo....

    ResponderExcluir
  3. PARABÉNS AMIGA ...SEMPRE ESTOU POR AQUI E ENVIO AOS AMIGOS BJOS

    ResponderExcluir